Sorria, sem motivo, com motivo, sozinho, ou quando alguém faz você rir. Apenas sorria, o sorriso abre portas, contagia, diverte!

Páginas

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Machucar

Não era meu objetivo de machucar. Nunca foi o que eu quis fazer. Se errei, foi porque despejei palavras que não saíram do mesmo lugar de onde sempre te digo coisas boas.
Quando te magoei com palavras, não pensei na hora, não imaginei, deixei sair algo que não é a verdade.
Eu não queria te machucar.
Eu não quero te machucar.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Talvez

Talvez eu não queria ter a estabilidade que minha mãe quer que eu tenha. Talvez eu queira essa vida que me surpreende a cada dia. Talvez eu tenha medo sim de passar necessidades. Mas talvez, eu só queira viver do modo que eu sou, instável.
A vida é uma inconstância, não segue uma linha reta. Então por que será que nos é tanto cobrado que consigamos controlar tudo?
Eu não quero controlar tudo. Talvez eu só queria mesmo essa sensação de não saber o que irá acontecer daqui uma hora.
Talvez no fundo disso tudo, seja só vontade de viver o bastante e ter para quem contar minhas histórias.
Talvez daqui a 30 anos eu seja apenas um velho contador de histórias que vive lembrando das coisas que fiz. Talvez seja só medo de acabar sozinho e não ter ninguém para contar essas histórias.
Talvez viver seja isso, viver com grandes "talvez" durante nossa estadia nesse mundo. Talvez.
"Talvez eu vá", "talvez eu faço", "talvez eu quero".
Talvez eu surte.
Talvez eu mude.
Talvez eu nunca saiba a resposta.
Talvez eu só queria ser como as crianças legais.
Mas de uma coisa eu tenho certeza, eu vou viver.

domingo, 9 de agosto de 2015

Drogas

Minhas drogas não são proibidas pela sociedade, não dão cadeia e não são contrabandeadas.
Minhas drogas estão por aí em qualquer lugar, qualquer um pode comprar. Eu, você, seu filho, seu pai.
Ninguém proíbe. Ninguém se interessa.
Os sinais estão aí: queimação, sobrepeso, preguiça, zoação, falta de autoestima.
Solução? Para quê? Se para a sociedade é apenas falta de vergonha na cara, falta de vontade ou falta de educação.
Solução? Não! Se para alguns meu vício não significa nada, para alguns significa lucro.
Minhas drogas não são convencionais mas fazem um estrago. Acabam com a saúde, com o dinheiro, com o sorriso no rosto. É é inversamente proporcional a alegria no rosto dos executivos das grandes corporações.
Tem nome e muitas vezes sobrenome: Coca-Cola, McDonalds, Burguer King, Subway, Cheetos. Ou usam o anonimato através da sua categoria: chocolate, jujuba, chiclete, bolacha, açucar, sorvete.
É uma fuga, uma desculpa, um prazer. É o que resta quando a cidade dorme, quando o silêncio do meu quarto parece sufocador.
Drogas? Queria dizer não.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Um pouco mais experiente

Eis a grande questão: mais velho ou menos jovem? Parece muito dramático, mas com 20 e tantos a pergunta se torna presente no cotidiano.
É aquela fase chata em que meus sonhos parecem estar muito longe e que a criança interior começou a se cansar da rotina. Será o peso das responsabilidades ou a falta de um objetivo?
Talvez seja apenas dramatização da experiência acumulada em 22 anos, ou a loucura batendo à minha porta.
Será que é tarde demais para mudar meu foco? Será que não posso usar isso ao meu favor?
Meu Deus, acho que vou enlouquecer!
Quer dizer, acho que não vou enlouquecer. Estou no mundo real, e isto faz parte da responsabilidade de ser viver.